quinta-feira, junho 18, 2015

Para o Brasil faltou: espírito e habilidade de Seleção

     


        Antes de criticar qualquer jogador de futebol parto do princípio de que o mesmo não tem culpa de ser contratado para o time ou até mesmo de ser convocado para Seleção de seu país. Ele pode até ser ruim, mas, quem tem culpa no cartório muitas das vezes é o técnico. Não sou e nunca serei fã do técnico Dunga.

       Em mais uma noite de atuação impotente ficou mais evidente que estamos sofrendo com a escassez de jogadores com habilidade nos pés e de que tenham cabeça no lugar. Evidente que tínhamos em campo o nosso maior craque, Neymar, mas não fora o suficiente para vencer a Colômbia.

       A transmissão esportiva trouxe à tona uma possível justificativa para o mau desempenho de Neymar na partida. Pauto-se sobre o andamento da investigação sobre possíveis fraudes na transferência do jogador ex-Santos para o Barcelona-ESP, e que isso estaria afetando o desempenho do jogador nesta partida, contudo, não acredito nessa teoria. Existem dias e dias. Até nós não estamos 100% todos os dias. Acredito na ideologia de que quando o jogador está atuando vale somente as quatro linhas do campo e mais nada. Talvez não fosse somente à noite de Neymar, logo, faltou qualidade e disseminou a esperança de um bom resultado. Deixou ainda mais claro a atual dependência sobre um único jogador na seleção.

     Desde quando se pode esperar um bom futebol de jogadores como: Fabinho, Fernandinho, Fred, Philippe Coutinho, Douglas Costa, Filipe Luís, Danilo, Elias, David Luiz? Roberto Firmino então nem se fala. Perdeu a melhor chance na partida. Ficou cara a cara com o gol sem goleiro e chutou na arquibancada, como diz Milton Leite: Que fase!

       Durante a partida, tentei posicionar-me no lugar de técnico e cheguei à seguinte incógnita: Será que não teríamos outras peças para compor a Seleção? Por que não apostar na base que fora bicampeã brasileira do Cruzeiro em 2013 e 2014? Em outras épocas deu certo.