segunda-feira, junho 29, 2015

O massacre alviverde: Palmeiras anula São Paulo no Allianz Parque

           

       É inegável dizer que em dia de clássico a cidade de São Paulo começa mais agitada do que de costume. Ao acordar o torcedor veste o uniforme do clube e sintoniza diversos programas esportivos para ficar ainda mais informado sobre a disputa de logo mais. As ruas ficam coloridas, e algumas se destacam pelo verde e branco e outras pelo branco, vermelho e preto. É dia de clássico: Palmeiras x São Paulo em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro 2015.

     O jogo começou agitado. Palmeiras e São Paulo buscavam o gol a todo instante. Alexandre Pato assustou com uma bela jogada, mas, a bola parou na trave. Michel Bastos perdeu mais três oportunidades. Mas como diz aquele velho ditado: quem não faz, toma.  E foi assim, melhor para o Palmeiras que deu um chocolate de esquema tático e goleou o São Paulo para alegria dos quase 30 mil palmeirenses.

        O torcedor alviverde não pode reclamar do retrospecto da equipe em clássicos. Até o ano passado os resultados eram deploráveis. O problema do Palmeiras está em perder pontos para times de menor expressão, como por exemplo: Joinville, Goiás, etc. Tenho certeza que se esse time jogasse com a mesma técnica e raça de ontem estaria facilmente na liderança do campeonato.

      Outro ponto que gostaria mencionar é o fato da transmissão esportiva nem se lembrar de jogadores como Valdivia e do veterano Zé Roberto. De fato, nem precisou. O Palmeiras de modo geral fez uma atuação impecável. O volante Arouca finalmente se apresentou ao Palmeiras, assim como o lateral Egídio que até uma rodada atrás errava passes e cruzamentos primários.

        Gostaria de entender o que acontece com o Ganso? Parece que o rapaz desaprendeu a jogar bola. Só tocava bola de lado, nada criava. Muito pouco para um armador. Quando atuava ainda pelo Santos era craque de bola. Adorava assistir aos jogos do Peixe. Muitos jornalistas e apresentadores cravavam que ele tinha um futuro muito mais promissor do que o atacante Neymar. Vai entender, são coisas do futebol.