quinta-feira, julho 02, 2015

Análise Pós-jogo: Atlético Paranaense x São Paulo


        O único fator positivo para o São Paulo na derrota de ontem à noite para o Atlético Paranaense foi uma melhora de Paulo Henrique Ganso na armação das jogadas e de arremates para o gol, ou seja, fez o que se espera de um camisa 10. Por pouco, Ganso não fez um gol na partida. Sim, você leu isso mesmo, contudo, ficou no quase. Para sorte do goleiro amigão do Atlético Paranaense o zagueiro, Gustavo, acompanhou a jogada e salvou a bola em cima da linha enquanto o placar marcava 0x0. Posteriormente o mesmo Gustavo subiu no terceiro andar e abriu a contagem para os donos da casa.

       Com duas derrotas seguidas no comando do São Paulo o cargo de Osório ainda não fora pautado para uma possível decapitação do treinador e nem pode. Talvez seja preciso dar tempo ao tempo. Conhecer o futebol, o campeonato, ou seja, aqueles blá blá de sempre, mas, que nunca são respeitados pelos clubes. Pergunto-me quantos novos tropeços serão necessários para pedirem a cabeça do treinador?  Em paralelo, você se recorda qual foi o último técnico estrangeiro que fez sucesso no Brasil? Pode desembarcar até o Guardiola para treinar o São Paulo, Santos, Palmeiras ou até Corinthians que não vai adiantar. Talvez por não compreender a dinâmica apresentada por um estrangeiro; por não dar tempo ao tempo; falta de jogadores de alto nível (o mais provável) ou por ele ser ruim mesmo.

        O que mais me chamou a atenção na partida, além da belíssima Arena do Atlético foi forma física do Gordinho saliente do Atlético Paranaense. Walter totalmente acima do peso, me fez relembrar o tempo de Ronaldo no comando do ataque do Corinthians. Mostrou que a habilidade está em dia. O cara é tão esperto que coloca os colegas para correr e ele lá tranquilo, correndo o necessário, se pintar uma marmitinha até come durante a partida, mas, nem por isso deixou de ajudar sua equipe. Aplicou um lindo chapéu em Centurión e deu uma bela assistência para o segundo gol do Atlético.